Artigos - Página 2 de 7 - Tinta da China

Matilde Campilho: entrevista sobre «Flecha» ao Observador

Matilde Campilho: entrevista sobre «Flecha» ao Observador
MATILDE CAMPILHO NUNCA PAROU DE ESCREVER: DEPOIS DOS POEMAS, TEM HISTÓRIAS PARA NOS CONTAR «O poder das histórias, o tempo para ouvir e para caminhar, os pequenos e os grandes momentos, a natureza e uma prosa em que se escava, escava, escava… Matilde Campilho conversou longamente com o Observador sobre a «Flecha», um livro que, segundo a jornalista Joana Stichini Vilela, é «uma espécie de panliteratura, com ecos de panteísmo, em tempos de pandemia e pande

«Flecha» e Matilde Campilho no Ípsilon

«Flecha» e Matilde Campilho no Ípsilon
MATILDE CAMPILHO VOLTA A GANHAR. CHAPEAU! Seis anos depois da publicação triunfal de Jóquei, chegou às livrarias a segunda obra de Matilde Campilho. E não, não é um livro de poemas. Intitula-se Flecha e é um livro de “histórias”. Uma bela maneira de escapar ao prestígio e à responsabilidade contraídos com o primeiro.   Leia o artigo completo aqui [Jornal Público, Julho de 2020].

«Uma História da Curiosidade» e Alberto Manguel no Público

«Uma História da Curiosidade» e Alberto Manguel no Público
O AUTOR MORRE QUANDO PÕE O PONTO FINAL. O LEITOR NASCE A SEGUIR. Alberto Manguel não é um escritor, é um leitor que faz da sua escrita a experiência de uma vida de leitura, a partir de uma biblioteca universal onde procura palavras para formular melhor as perguntas necessárias. Conversa no centro do seu mais recente livro, Uma História da Curiosidade. Leia toda a entrevista aqui [Jornal Público, Outubro de 2015].

Entrevista ao Expresso sobre «Uma História da Curiosidade»

Entrevista ao Expresso sobre «Uma História da Curiosidade»
É um homem que acredita no poder das histórias, que descobriu e leu Dante numa convalescença, que cita Flaubert e a «Alice nos País das Maravilhas» e que disse «eu tenho palavras» para mostrar que tinha as faculdades intactas depois de um AVC. E tem perguntas, várias e como esta, que é uma questão que ele considera certa para responder a outras tantas erradas: «Porque há neste momento tanta gente a fugir do seu país?» Leia a versão longa desta entrevist