ALGARVE MEDITERRÂNICO - Tinta da China

PRÉMIO GOURMAND para MELHOR LIVRO DO ANO em Portugal

PRÉMIO DE LITERATURA GASTRONÓMICA, Académie Internationale de Gastronomie

3.º lugar na categoria BEST COOKBOOK OF THE YEAR, GOURMAND AWARDS 2016

3.º lugar na categoria BEST TRANSLATION, GOURMAND AWARDS 2017

«Um livro completo, delicioso e sábio.»
— Miguel Esteves Cardoso, Público

Terra do sol, do sal, do vinho, do azeite, do pão e do peixe, o Algarve preserva tradições mediterrânicas que devemos não só valorizar, como também fixar e recriar inovadoramente.

Ao longo de décadas, Maria Manuel Valagão recolheu memórias e costumes milenares — dando especial atenção aos aspectos antropológicos e sociais dos produtos alimentares, dos processos de conservação e das técnicas de preparação — e estudou as suas relações com a história, a paisagem e a gastronomia desta região.

Sendo um repositório único do vasto património cultural algarvio, Algarve Mediterrânico conta com as interpretações de Vasco Célio, na fotografia, e de Bertílio Gomes, na cozinha contemporânea.

«Diz-se que a comida está na moda e isso é verdade. Mas não raro vemos que a moda que pôs a comida na moda é muitas vezes feita de superficialidade e de desconhecimento. Este livro é o contrário disso. Aqui, há saberes, pessoas, patrimónios, memórias, testemunhos, usos, costumes, culturas. […] Este livro fala-nos de paisagens e de patrimónios, de ervas e de frutos, de sal e de sol, de peixes e de moluscos, de frutos secos e de mel, de oliveiras e de azeites, de videiras e de vinhos, de alfarrobeiras e de alfarrobas, de castanhas piladas e de medronhos, de cogumelos e de espargos, de ingredientes e de temperos, de pão, com a sua amassadura, e de tibornas, de sopas e de açordas, de jantares e de cozidos, de xarém ou papas (‘faz-se papas de tudo’, diz a tradição) e de gaspachos, de saladas e de tomatadas, de peixes e de carnes, de caldeiras e de sopas de peixes, de matanças do porco e de caça, de petiscos e de doces, de amêndoas e de folares. Só esta enumeração já nos abre o apetite…»
— José Manuel dos Santos

Bertílio Gomes

Iniciou a sua formação na Escola João da Matta, em Lisboa, especializou-se trabalhando com reputados mestres e em conceituadas academias como o Culinary Institute of America (Nova Iorque), a École du Grand Chocolat (Lyon), Sollé‑Graells (Barcelona), e Angello Corvitto (Girona). Com uma experiência profissional vasta, este chef de origens algarvias começou por obter o primeiro lugar no concurso Jovem Cozinheiro do Ano (1998), a que se juntaram depois outras distinções como o prémio Chef de l´Avenir da Académie Internationale de Gastronomie.
Programador gastronómico do Allgarve (2010-2011), tem colhido elogios da crítica especializada pela sua actividade no restaurante Vírgula, na Casa da Comida e como organizador de eventos ligados à reinterpretação da gastronomia tradicional.
Actualmente é o chef do restaurante Chapitô à Mesa, em Lisboa.

Maria Manuel Valagão

Doutorada em Ciências do Ambiente pela Faculdade de Ciências e Tecnologia (Universidade Nova de Lisboa, 1990); investigadora em Sociologia da Alimentação e Ambiente (Instituto Nacional de Investigação Agrária, 1976-2009); consultora da Divisão de Políticas de Alimentação e Nutrição da FAO/ONU, Roma (1980-1995); perita no Comité Scientifique des Appellations d’Origine, Indications Geographiques et Attestations de Specificité Alimentaire da CE, Bruxelas (1994- 1997); professora-convidada no ISCTE (Instituto de Ciências do Trabalho e da Empresa, 1996-2003).
É também autora e co-autora de diversas publicações, tendo sido coordenadora de Tradição e Inovação Alimentar (2006) e de Natureza, Gastronomia & Lazer (2006), obra esta que obteve o Prix de la Littérature Gastronomique 2010, Paris, da Académie Internationale de Gastronomie.
Actualmente é investigadora no IELT (Instituto de Estudos de Literatura e Tradição — Patrimónios, Artes e Culturas) na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (Universidade Nova de Lisboa).

Vasco Célio

Fotógrafo baseado no Algarve, desenvolve a sua actividade em quatro continentes. Com formação muito ecléctica na área da fotografia, tem frequentado formações de diversas organizações.
Participou em vários projectos como o MobileHome ou Projecto Troika. É sócio fundador do estúdio F32, posteriormente Stills.
No campo da gastronomia destaca-se a sua obra como fotógrafo oficial do International Gourmet Festival, do restaurante Vila Joya, no Algarve, onde acompanha autênticas maratonas culinárias, com a participação dos mais reputados chefs de nível internacional, registando os gestos e rituais criativos de aromas e sabores até à apresentação dos pratos. Destaca-se também a sua participação no Portugal dos Sabores e em projectos de empresas e instituições.
Em paralelo, desenvolve trabalho como autor, o que se materializa em projectos expositivos ou editoriais no campo das artes visuais.