AMÉRICA DO NORTE - Tinta da China
20%

Um livro-reportagem que data de 1916 e onde o entusiasmo com o novo mundo e o progressismo dos EUA, em contraste com a realidade portuguesa do início de século, transparece em todo o seu esplendor.
Jornalista, escritor e diplomata, Alfredo de Mesquita tornou-se conhecido, pela perspicácia das suas observações e pela qualidade da sua escrita, como o Tocqueville português. Enquanto diplomata em Nova Iorque na transição dos séculos XIX para o XX, foi observador privilegiado da vida nos EUA. Neste livro reportagem, originalmente publicado em 1916, o entusiasmo pelo novo mundo e pelas qualidades do povo multicultural e progressista dos EUA, tão contrastante com a realidade portuguesa desse início de século, transparece em todo o seu esplendor.

«Predomina em Tocqueville e em Alfredo de Mesquita uma preocupação de agarrar o cerne do espírito americano. Uma atenção ao social e ao político, mas também ao psicológico, esse inefável e incaptável carácter do americano, aliás tão incaptável como o de qualquer outro país.»
— Onésimo Teotónio Almeida (do Prefácio)

Alfredo de Mesquita

Alfredo de Mesquita nasceu em Angra do Heroísmo, em 1871, e faleceu em Paris, em 1931. Foi jornalista, escritor, olisipógrafo e diplomata. Colaborou com os diários Democracia PortuguesaNacionalPortugalCorreio NacionalJornal do ComércioComércio do Porto e Diário de Notícias, as revistas O OcidenteBranco e NegroBrasil-PortugalSerõesIlustração Portuguesa, entre outras, e os jornais humorísticos António Maria e Paródia.
Prestou serviço de cônsul em Durban, Melbourne, Constantinopla, Roma, Nova Iorque, Hamburgo e Paris. Enquanto diplomata em Nova Iorque na transição dos séculos XIX para o XX, foi observador privilegiado da vida nos EUA e publicou as suas experiências norte-americanas no livro-reportagem «A América do Norte», muito vendido à época. Publicou ainda uma extensa obra literária, incluindo biografias, ensaios literários, contos, teatro e um romance. Foi agraciado com a Ordem Militar de Cristo e a Legião de Honra (França). A FLAD instituiu, já no século XXI, o Programa Alfredo de Mesquita, projecto de apoio à formação de jornalistas açorianos.