CAVIAR É UMA OVA - Tinta da China
35%

«Quatrocentos anos depois de Gregório de Matos, o Brasil produz outro magnífico Gregório de olhar igualmente poético e malandro, doce e satírico, melancólico e mordaz. É um país muito estranho.»
— Ricardo Araújo Pereira

Neste livro, o leitor encontrará as obras completas de Gregorio Duvivier. Provavelmente, as menores obras completas alguma vez publicadas.
O género é… livre. Por vezes são ficções, outras vezes, não-ficções, e muitas vezes não são uma coisa nem outra. O único elo comum entre as crónicas é o facto de serem crónicas, embora na maioria dos casos não o sejam.

«Nem todo bom humorista é um bom cômico, nem todo bom comediante é um bom ator e nem todo bom roteirista é um bom cronista. O Gregorio Duvivier é tudo isso ao mesmo tempo e vice-versa. É econômico: você paga por um Duvivier e leva seis.»
— Luis Fernando Verissimo

Gregorio Duvivier

Gregorio Duvivier (Rio de Janeiro, 1986) é actor, poeta, torce pelo Fluminense e criou, juntamente com amigos, a Porta dos Fundos.
Vive no Rio de Janeiro e escreve para a Folha de São Paulo. Tentou escrever para a Folha do Rio de Janeiro, mas ela não existe. Deformou-se em Letras na PUC-Rio, e com as letras que aprendeu criou palavras, como por exemplo a palavra «Pilanco», que quer dizer «Pancebo», que não quer dizer nada. Caviar É Uma Ova é o quarto livro que publica, e o terceiro livro que lê.