10%

A PRIMEIRA HISTÓRIA DA ECONOMIA SOCIAL EM PORTUGAL

Charles Gide definiu o conceito de «economia social» como um sector assente em três pilares: a associação (eminentemente laboral), o Estado (serviços públicos) e o patronato (instituições de beneficência e filantropia de iniciativa patronal).

Álvaro Garrido conta a história das organizações que deram origem a esse conceito: das corporações medievais às misericórdias, das organizações mutualistas às cooperativas, do paternalismo patronal do século XIX aos seguros sociais.

Em Portugal, esta «ideia nova» transformou‑se num variado movimento associativo, pouco susceptível de enquadramento nas diversas versões do Estado‑Providência. A sua história permite identificar as tensões que surgiram entre um estado social mais ou menos ausente e uma economia social vigorosa.

Partindo das ideias, utopias e práticas da economia social na Europa, este livro esclarece o contexto português e traça o seu percurso do século XIX ao pós-25 de Abril.

Álvaro Garrido

Álvaro Garrido é professor na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e investigador do CEIS20 (Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra). O seu projecto de investigação incide na história económica e das instituições, e na história marítima contemporânea. Os temas do corporativismo, da economia social e da economia marítima são centrais no seu trabalho. Publicou diversos livros e artigos sobre as pescas no contexto do Estado Novo português e sobre a natureza do corporativismo salazarista. Prepara um projecto de investigação sobre história das políticas públicas do mar em Portugal.