EM NOME DO POVO - Tinta da China
20%

«Com grande sagacidade, coragem e compaixão, Lara Pawson analisa minuciosamente as dimensões políticas e humanas deste massacre esquecido. Em Nome do Povo presta um enorme serviço não só à história angolana, como a todos nós. Leitura obrigatória.»
— Teju Cole

A 27 de Maio de 1977, uma disputa no seio da direcção do MPLA levou ao massacre de milhares, senão dezenas de milhares, de pessoas. Hoje, esta tragédia praticamente não é mencionada em Angola; no estrangeiro, ninguém sabe sequer da sua existência.
A jornalista Lara Pawson investigou os acontecimentos e considerou-os em tudo equivalentes «aos massacres ordenados por Robert Mugabe e aos assassínios em massa da ditadura de Pinochet». Neste livro, reuniu inúmeros testemunhos, directos e indirectos, como os de João Van Dúnem (irmão de José, um dos líderes da revolta) ou de actuais membros da elite angolana — Ndunduma Wé Lépi (ex-director do Jornal de Angola) e Aníbal João da Silva Melo (deputado à Assembleia Nacional pelo MPLA), entre outros.

Entre Londres, Luanda e Lisboa, Pawson conseguiu o que até aqui nunca fora possível: passados 40 anos, vítimas e testemunhas – ainda hoje sob a tensão do medo –, e até mesmo alguns dos carrascos, decidiram falar sobre o massacre, numa série de surpreendentes entrevistas.

Lara Pawson

Lara Pawson foi correspondente da BBC no Mali, na Costa do Marfim e em São Tomé e Príncipe, entre 1998 e 2007.
De 1998 a 2000, trabalhou em Angola, onde cobriu a guerra civil. Desde então, visita com regularidade o país. É actualmente jornalista freelance em Londres.