HABITANTE IRREAL - Tinta da China
20%

PRÉMIO MACHADO DE ASSIS (F. BIBLIOTECA NACIONAL) 2012
FINALISTA DOS PRÉMIOS JABUTI E SÃO PAULO DE LITERATURA

Autor multipremiado e traduzido em várias línguas, Paulo Scott trouxe uma inesperada ousadia à literatura brasileira contemporânea. Este é o seu primeiro livro de publicado em Portugal.

Porto Alegre, 1989. Depois de ter vivido a euforia e as promessas de abertura política no Brasil, Paulo sente-se desiludido com a militância política no Partido dos Trabalhadores. É incapaz de manter relacionamentos estáveis, o seu trabalho no escritório de advogados oprime-o — está desencantado com a vida. O acaso leva-o a cruzar-se com Maína, uma adolescente índia parada à beira da estrada. De jornais e revistas apertados contra o peito, debaixo de uma forte chuva, Maína parece estar à espera de alguma coisa. Paulo decide dar-lhe boleia, e a vida de ambos ganha contornos inesperados.

Habitante Irreal acompanha a emancipação do Brasil face à ditadura, aborda o problema mal resolvido da herança indígena e revela que a possibilidade de um futuro promissor pode não ser suficiente para controlar a nossa vida.

Paulo Scott

Paulo Scott nasceu em Porto Alegre em 1966 e mora no Rio de Janeiro. Autor de poesia e teatro, teve um dos seus livros de contos, Ainda Orangotangos, adaptado para cinema por Gustavo Spolidoro.
Habitante Irreal é o seu segundo romance e foi finalista dos prémios Jabuti e São Paulo de Literatura e vencedor do Prémio Machado de Assis 2012.