UMA HISTÓRIA DA GUERRA - Tinta da China
20%

«Uma obra-prima… Um daqueles raros livros que ainda serão de leitura obrigatória daqui a cem anos.»
— New Yorker

Eloquente e enciclopédico, John Keegan percorre, nesta obra, séculos de conflito, caracterizando diferentes épocas e sociedades. Desde os rituais de combate da Idade da Pedra até à destruição em massa dos tempos modernos, passando pela organização das legiões romanas, pelo ideal de luta do Islão ou pela incontida violência dos cavaleiros das estepes, Keegan revela-nos os diversos modelos da prática de guerra, a par das grandes inovações da tecnologia militar: a descoberta do bronze e do ferro, a domesticação do cavalo, o carro de guerra e a arte da cavalaria, a introdução da pólvora e as armas de destruição maciça.
Eis um estudo profundo e abrangente, amplamente documentado por mapas e fotografias, que culmina sugerindo caminhos para que o ser humano possa conter os efeitos devastadores de uma prática que é hoje mais destrutiva do que nunca. De acordo com o autor, «em última análise, existe apenas uma cultura guerreira. A sua evolução e transformação no tempo e no espaço, desde o início da humanidade até ao mundo contemporâneo, é a história da guerra».

John Keegan

John Keegan (1934) é um dos historiadores de maior relevância e prestígio internacional, tendo contribuído como poucos para a divulgação, entre o grande público, de temas tão vastos como a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais e a Guerra do Iraque.
Docente da Academia Militar de Sandhurst durante várias décadas, foi também professor convidado na Universidade de Princeton e no Vassar College, nos Estados Unidos da América. Na década de 80, abandonou a carreira universitária para se tornar correspondente (e depois editor) dos assuntos de Defesa do jornal Daily Telegraph. Após a Guerra do Golfo (1991), recebeu a Ordem do Império Britânico e, em 2000, foi condecorado pela rainha Isabel II.
É autor de vários best-sellers internacionais, entre os quais Uma História da Guerra e A Máscara do Comando.