JOSÉ SARAMAGO: A LITERATURA E O MAL - Tinta da China
10%

Pré-venda*
1922-2022. CEM ANOS DO NASCIMENTO DO NOBEL PORTUGUÊS

GRANDE ENSAIO SOBRE A PROBLEMÁTICA DO MAL E O PAPEL DE CADA UM NA CONSTRUÇÃO DO BEM COMUM, A PARTIR DA OBRA DE JOSÉ SARAMAGO

José Saramago não aceitava o princípio segundo o qual somos impotentes perante um sistema mundial inumano que estimula a desigualdade e a desumanidade. A solução, sempre insuficiente e provisória, para o mal do mundo está na (re)construção de cada um de nós e das instituições; reside nos valores morais voltados para o bem comum que cada pessoa e o coletivo sejam capazes de convocar e aplicar dia a dia, a cada momento.

Este ensaio pretende contribuir para a compreensão da problemática do mal quer em José Saramago, quer, a partir da sua escrita e do seu pensamento, na ação individual e na prática social e política (na vida ética): o mal substantivado na História em instituições como a Inquisição, a monarquia e outras formas de governo, e em poderes económicos como o do latifúndio alentejano anterior à Revolução de Abril e o dos mercados neoliberais; e o mal como princípio não acidental do humano, tão inscrito na nossa natureza como o bem e sempre em vias de se manifestar em múltiplas e (im)previsíveis formas.

LIVRO VENCEDOR DO PRÉMIO LITERÁRIO VERGÍLIO FERREIRA 2022

*Envios a partir de 18 de Agosto.

Carlos Nogueira

Carlos Nogueira é director científico da cátedra José Saramago da Universidade de Vigo. O seu trabalho docente e de investigação tem-se centrado especialmente nas relações entre a literatura, a filosofia, a política e o direito. Tem publicado livros de ensaio em editoras como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Imprensa Nacional — Casa da Moeda, a Porto Editora, as Edições Europa América, as Edições Lusitânia e a Livraria Lello. Recebeu o Prémio de Ensaio Jacinto do Prado Coelho, o Prémio de Internacionalização da Produção Científica da FCSH — Universidade Nova de Lisboa e o Prémio Montepio de Ensaio.