10%

PARA ONDE VAI A IDENTIDADE DE QUEM AMAMOS QUANDO CHEGA O ALZHEIMER?

No instante em que a mãe de Heloisa Seixas mostrou os primeiros sinais da doença de Alzheimer, começou uma «espiral assombrada» na vida destas duas mulheres. Este testemunho resgata da obscuridade uma doença tabu da forma mais dolorosa, mas também mais honesta: através da voz de uma filha que assiste de perto enquanto a mãe desaparece ainda em vida.

«Já não sinto raiva, nem culpa, nem dor. Apenas uma compaixão imensa. Mesmo em seus momentos de maior agonia, quando seus olhos de nuvens procuram alguma coisa que ninguém jamais descobrirá […] e quando me faz perguntas insanas, sempre em estado de sofrimento — O que vou fazer? E agora? Para onde nós vamos? Como é que vai ser? —, mesmo diante de tudo isso, eu me sinto em paz. A revolta acabou.»

Heloisa Seixas

Heloisa Seixas nasceu no Rio de Janeiro, em 1952.
Formada em jornalismo, trabalhou muitos anos na imprensa carioca, e é autora de mais de vinte livros publicados no Brasil, incluindo romances, contos, crónicas, infanto-juvenis e teatro. Foi quatro vezes finalista do prestigiado prémio Jabuti, com Pente de VênusA portaPérolas absolutas e O oitavo selo (também semifinalista do prémio Oceanos). O Lugar Escuro é o seu primeiro livro de não-ficção e o primeiro da autora publicado em Portugal.