OBRA COMPLETA DE RICARDO REIS - Tinta da China
20%

A OBRA COMPLETA DE RICARDO REIS REUNIDA PELA PRIMEIRA VEZ NUM SÓ VOLUME

«E escrevi versos
Pra que os deuses voltassem.»

Ricardo Reis esteve latente na alma de Pessoa até 1914, ano em que nasceu e passou a ser o autor de um conjunto de odes que se expandiu até 1935, quando escreveu o poema «Vivem em nós innumeros». Dentro de Reis viveram, de facto, inúmeros: o neoclássico antagonista do Integralismo Lusitano, o prefaciador de Caeiro, o defensor da obra perfeita de Milton, o ensaísta interessado pela sexualidade, a ciência e a religião, o crítico do «christismo», o teorizador de um novo ideal pagão, o espectador do mundo como se de um jogo de xadrez se tratasse, o monárquico exilado, o médico semi-helenista, o poeta da fugacidade do tempo e da aceitação calma do destino.

Este volume, que reúne pela primeira vez toda a poesia e prosa de Ricardo Reis, completa a trilogia que dá a ler, pela primeira vez em Portugal, as obras integrais de Caeiro, Campos e Reis.

Fernando Pessoa

Fernando Pessoa (1888-1935) é hoje o principal elo literário de Portugal com o mundo. A sua obra em verso e em prosa é a mais plural que se possa imaginar, pois tem múltiplas facetas, materializa inúmeros interesses e representa um autêntico património colectivo: do autor, das diversas figuras autorais inventadas por ele e dos leitores.
Algumas dessas personagens, Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos, Pessoa denominou «heterónimos», reservando a designação de «ortónimo» para si próprio. Director e colaborador de várias revistas literárias, autor do Livro do Desassossego e, no dia-a-dia, «correspondente estrangeiro em casas comerciais», Pessoa deixou uma obra universal em três línguas que continua sendo editada e estudada desde que escreveu, antes de morrer, em Lisboa, «I know not what tomorrow will bring» [«Não sei o que o amanhã trará»].