Numa iniciativa inédita, a Tinta-da-china reúne, pela primeira vez:
– Números 1 e 2 da revista
– Provas tipográficas do número 3, que nunca chegou a ser publicado
– 4 ilustrações inéditas de Amadeo de Souza-Cardoso, que se julga destinarem‑se ao 3.º número da revista
– Brochura editorial da autoria de Steffen Dix, contextualizando o Orpheu no modernismo.

Material reunido numa caixa de colecção forrada a tecido, serigrafada e numerada.

Seleccionaram‑se os melhores exemplares da revista original, de entre os escassos disponíveis nas mãos de coleccionadores, prestando‑se especial atenção à escolha dos materiais, numa aproximação cuidada às primeiras edições.

Uma homenagem à grande publicação de referência do modernismo português.