10%

PRÉMIO ANUAL COMIC CON BD
PRÉMIO EXCELÊNCIA NA ESCRITA DE BD
(COMIC CON PORTUGAL 2016)

Autores multipremiados da saga Dog Mendonça e Pizzaboy, Filipe Melo e Juan Cavia voltam a colaborar num romance gráfico, desta vez sobre a guerra colonial.

Guiné, Dezembro de 1972.
Em plena guerra colonial, um grupo de soldados portugueses é destacado para uma operação secreta no Senegal. Porém, à medida que vão sendo consumidos pela paranóia e pelo cansaço, esta missão aparentemente simples vai transformar-se num verdadeiro pesadelo.
Embrenhados na selva, estes homens terão de confrontar sucessivos demónios – os da guerra e os que trouxeram consigo.

Filipe Melo

Filipe Melo é pianista, realizador de cinema e autor de banda desenhada. Desenvolveu desde cedo uma paixão pela música, em especial pela improvisação e pela linguagem do jazz. Estudou no Hot Clube de Portugal e, mais tarde, no Berklee College of Music, em Boston. Depois de muitos anos como pianista freelance, tornou-se também compositor, arranjador e orquestrador, tendo trabalhado com músicos de áreas diferentes, como Benny Golson, Peter Bernstein, Legendary Tigerman, Camané, Carlos do Carmo, etc. Foi também músico convidado de várias orquestras – Big Band do Hotclube, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Sinfonietta de Lisboa e Orquestra Sinfónica Nacional.
Na área do cinema, foi o criador de vários projectos de culto: I’ll See You in My Dreams, curta-metragem vencedora do Fantasporto, do Méliès d’Or e de outros 12 prémios internacionais, e Um Mundo Catita, a primeira série de ficção produzida pela RTP2.
É autor da trilogia As Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy e de Comer/Beber Os seus livros de banda desenhada contam com prefácios dos lendários realizadores John Landis, George A. Romero e Tobe Hooper, e estão editados em vários países. Escreve para a lendária colectânea de BD Dark Horse Presents, ao lado de nomes como Frank Miller e Mike Mignola.
Actualmente, ensina na Escola Superior de Música, em Lisboa.

Juan Cavia

Juan Cavia, argentino, nasceu com um talento inato para o desenho. Em pequeno passava horas a copiar os seus livros de banda desenhada preferidos, sem no entanto chegar a bons resultados. Aos 10 anos de idade e depois de muitas tentativas falhadas de fazer as suas próprias histórias, começou a ter aulas com o professor Carlos Pedrazzini, que durante mais de um ano fez incidir os seus estudos sobre a anatomia humana, perspectiva e síntese, para depois se concentrar mais profundamente sobre a narrativa.
Durante 11 anos, sem interrupções, Juan Cavia desenvolve os seus conhecimentos em pintura, desenho, composição, dinâmica e diversas técnicas de representação. Depois do ensino secundário, começa a estudar cinema, enquanto trabalha paralelamente como storyboarder e concept designer para algumas produtoras de publicidade. Um ano mais tarde começa a trabalhar com Marcelo Pont Verges (designer de produção e desenhador de BD), com quem trabalha como assistente durante dois anos em diversos campos do audiovisual.
Desde 2005, trabalha como director de arte para cinema, publicidade e teatro. O filme El Secreto de Sus Ojos, uma das suas colaborações mais recentes, foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.