PASSOS PERDIDOS - Tinta da China
20%

NOVO ROMANCE DO AUTOR DE HOTEL,
VENCEDOR DO PRÉMIO PEN NARRATIVA 2015

Há neste livro duas personagens obsessivas e misteriosas: Anna W., uma mulher que gosta de ilhas pequenas e nos leva a Santa Helena, Malta e Diu; C. Brandon, um homem perdido em grandes espaços arquitectónicos e no amor não correspondido por Anna W., enquanto percorre Paris, várias cidades belgas, Munique, Milão, Bombaim e Bijapur. As suas motivações e os seus destinos jogam-se entre a década de 1970 e os nossos dias, e vão‑se revelando nas deambulações pela história e geografia das ilhas, pelas audácias da arquitectura e, sempre subjacentes, pelas memórias do autor.

«As ilhas, sussurra para si mesma Anna W. com a alma cheia de culpa e de impotência, as ilhas são os lugares dos obsessivos e dos obstinados, sítios onde voltam a germinar manias mortas como líquenes em pátios onde não bate o sol. Nas ilhas há horizonte mas não há saída.»

A elegância de estilo, as extravagâncias narrativas e o cosmopolitismo invulgar das suas personagens colocam Paulo Varela Gomes num lugar único da literatura portuguesa contemporânea.

«Estamos perante as mais belas páginas literárias que Paulo Varela Gomes escreveu, desde que em 2013 publicou O Verão de 2012. São páginas de uma prosa soberba.»
— António Guerreiro, Público

LIVRO DO ANO 2016, Público

Paulo Varela Gomes

Paulo Varela Gomes (1952-2016) foi professor dos ensinos secundário e superior até se reformar em 2012, autor de artigos e livros da sua área de especialidade (História da Arquitectura e da Arte), colaborador e cronista permanente de vários jornais e revistas, designadamente do Público, autor e apresentador de documentários de televisão. Escreveu o livro de crónicas Ouro e Cinza e os romances O Verão de 2012Hotel (Prémio PEN Narrativa 2015), Era Uma Vez em Goa e Passos Perdidos. Em 2015, publicou na revista Granta o texto Morrer é mais difícil do que parece.